Filosofia Oriental e Espiritualismo Prático

Últimos assuntos

Navegação

Parceiros

Fórum grátis

    Visão da Morte

    Compartilhe

    Convidad
    Convidado

    Visão da Morte

    Mensagem  Convidad em Sex Jul 22, 2011 3:53 pm

    Para o Materialista - a "causa finalis" de todo ser vivo coincide com a sua extinção após a morte. Todos os atributos da personalidade, conciencia, sentimentos, conhecimentos, noção do Eu, alegria, tristezas, amor, etc. são meros produtos da organização complexa da materia viva e que se perde com a chegada da morte.

    Para o Espiritualista - Ainda restaria aquilo que animou o corpo, enquanto vivo - a alma ou espirito. O individuo após a morte perde apenas o corpo carnal, conservando o corpo espiritual que é a sede dos atributos psiquicos.

    Na morte ganhamos consciencia de que somos mais que apenas nossos corpos físicos, fácil de entender é para aquele que vive experiencias de desdobramento ou dissociação dos múltiplos corpos de que seria constituído o ser humano, mediante uma seqüência de pulsos ou comandos energéticos mentais.

    "Como será o tecido sutil da espiritual roupagem que o homem envergará, sem o corpo de carne, além da morte?..." Emmanuel I love you
    avatar
    Monstrinho

    Mensagens : 145
    Data de inscrição : 22/05/2011

    Re: Visão da Morte

    Mensagem  Monstrinho em Sex Jul 22, 2011 5:11 pm

    Mulher Celta escreveu:

    1- Para o Materialista - a "causa finalis" de todo ser vivo coincide com a sua extinção após a morte. Todos os atributos da personalidade, conciencia, sentimentos, conhecimentos, noção do Eu, alegria, tristezas, amor, etc. são meros produtos da organização complexa da materia viva e que se perde com a chegada da morte.

    2- Para o Espiritualista - Ainda restaria aquilo que animou o corpo, enquanto vivo - a alma ou espirito. O individuo após a morte perde apenas o corpo carnal, conservando o corpo espiritual que é a sede dos atributos psiquicos.

    3- Na morte ganhamos consciencia de que somos mais que apenas nossos corpos físicos, fácil de entender é para aquele que vive experiencias de desdobramento ou dissociação dos múltiplos corpos de que seria constituído o ser humano, mediante uma seqüência de pulsos ou comandos energéticos mentais.

    "Como será o tecido sutil da espiritual roupagem que o homem envergará, sem o corpo de carne, além da morte?..." Emmanuel I love you

    1- E quem sabe se não coincide mesmo?! A personalidade, por exemplo, é criada socialmente, materialmente, o Espírito não tem personalidade - embora ele traga tendências de outras vidas que se traduzem no seu karma. O "amor", "sentimentos", "conhecimentos", "noção do Eu", alegrias e tristezas também são coisas que são aprendidas enquanto encarnados, ou seja, material e socialmente, porque na sociedade (até hoje, desde Cristo) se ensina que devemos amar os entes queridos e "odiar", ou seja, ser indiferente como os que estão "longe". A noção do "Eu", pode ser a ilusão de que somos individualidades separadas uns dos outros por gostos, aptidões, tendências intelecto-morais, artísticas e etc; isso também é ensinado socialmente. E as alegrias e tristezas são outras tantas ilusões que aprendemos socialmente. Veja, portanto, que o "materialista" não está de todo errado... Smile

    2- Será que perde apenas o corpo carnal e tudo o que resta é a sua essência espiritual?? Duvido muito que um Espírito que não teve a consciência da sua essência enquanto "vivo", irá se deparar com o encontro de si mesmo (o Eu Superior) depois da morte. Ademais, ao deixar o corpo, a maioria dos Espíritos leva consigo a idéia de que são o corpo. Muitos podem até ter a idéia, a compreensão de que não são o corpo de carne, mas ainda se acreditam seres com atributos humanos, como gostos pessoais, nome próprio, profissão (André Luiz achava, no filme Nosso Lar, que poderia exercer a sua profissão de médico no além), filhos, amigos, inimigos, posses, poderes. Então o Espírito não está a par de sua verdadeira essência, mas está humanizado, vivendo no mundo espiritual de tal forma, como se fosse um ser humano e não um Espírito.

    Nesse sentido, tanto faz ele ter sido materialista ou espiritualista quando em vida...

    3- Nem sempre, linda... Prova disso são os milhões de Espíritos que se comunicam através dos médiuns narrando seus padecimentos de ordem material - dor de cabeça, feridas que sangram e dóem - como se ainda tivessem um corpo material. Ora, se o Espírito já não tem um corpo mas sente as dores do corpo, então ele não tomou consciência de que ele é "algo a mais que o corpo" não acha??

    Muitos espíritas e espiritualistas se enganam quanto a acreditar que há um determinismo fatalista do Espírito sobre a matéria. Muito pelo contrário, o Espírito encarnado está de todo influenciado pela matéria. Exemplo: ele tem libido porque tem um corpo com um órgão sexual, que lhe é dado pela matéria, e não que a libido faz parte da essência do Espírito. Outro exemplo: o Espírito tem a sensação de ser forte ou fraco, porque tem um corpo que lhe dá a sensação de fraqueza ou de poder, assim como, o Espírito pode ter a sensação de que é inteligente ou não, não porque necessariamente ele tenha feito conquistas intelectuais em outras vidas, mas porque, em renascendo em um meio em que pode desenvolver-se intelectual e culturamente, ele pode se tornar inteligente e culto. Isso está no próprio Livro dos Espíritos, em que, dependendo da prova que o Espírito aceite, ele pode viver uma prova na obscuridade, e todas as suas conquistas intelectuais de outras vidas ficam adormecidas, de modo que aquela pessoa é tida como leiga e sem cultura para quem o vê, porque aquele Espírito renasceu em um meio em que não podia manifestar suas faculdades intelectuais, seja devido a um impedimento da matéria, seja devido ao meio social em que foi "educado".

    Veja portanto, que cabe ao Espírito ter o domínio sobre a matéria, e é nisto que consiste a maioria das provas. Contudo, todo Espírito encarnado vivendo sob o "véu de Maya" está sujeito à influência da matéria.

    Quanto ao "desdobramento", concordo. É aquilo que Allan Kardec chamou de Dupla Vista (a visão do Espírito), o Êxtase (equivalente ao estado meditativo) e o Sonambulismo.

    Agora, esperar a morte chegar para se livrar da matéria e das idéias e crenças mundanas não vale, porque de outro modo não seria necessário a reencarnação.

    É como penso.

    Abçs,



    avatar
    Monstrinho

    Mensagens : 145
    Data de inscrição : 22/05/2011

    Re: Visão da Morte

    Mensagem  Monstrinho em Sex Jul 22, 2011 9:15 pm

    Mulher Celta escreveu:"Como será o tecido sutil da espiritual roupagem que o homem envergará, sem o corpo de carne, além da morte?..." Emmanuel I love you

    Vixe! Se o próprio Emmanuel que está ou estava desencarnado não sabe isso, que dizer nós? Rolling Eyes

    Mas vou arriscar-me: o tecido da "espiritual roupagem" será aquilo que o Espírito acreditar que ele é. Se acreditar que é um corpo, irá "envergar" esse tecido "sutil" na forma e tessitura de um corpo (ele acreditará nessa tessitura embora ela não exista); se acreditar que é um Espírito poderá tomar a forma que quiser, incluindo formas não humanas, desde que ele não se identifique com as coisas e idéias humanas.

    Pronto, arrisquei-me. Very Happy


    Conteúdo patrocinado

    Re: Visão da Morte

    Mensagem  Conteúdo patrocinado


      Data/hora atual: Qua Ago 16, 2017 11:52 pm