Filosofia Oriental e Espiritualismo Prático

Últimos assuntos

Navegação

Parceiros

Fórum grátis

    A HORA FINAL

    Compartilhe

    Convidad
    Convidado

    A HORA FINAL

    Mensagem  Convidad em Seg Jul 25, 2011 8:10 pm

    A HORA FINAL

    Que se passa no momento da morte e como se desprende o espírito de sua prisão material? Que impressões, sensações nos espera nesta ocasião. È isto que interessa a todos conhecer, porque todos cumprem esta jornada.

    As sensações que precedem e se seguem à morte são infinitamente variadas e depende, sobretudo, do caráter, dos méritos, da elevação moral do espírito. A separação é quase sempre lenta até que se rompam os últimos laços fluídicos que une o espírito ao corpo e a impressão sentida revela-se penosa e prolongada quando estes laços são fortes e numerosos.

    Em geral, o desprendimento do espírito é menos penoso depois de uma longa moléstia, pois o efeito desta é desligar pouco a pouco os laços carnais. As mortes súbitas, violentas de vidas orgânicas em sua plenitude causa prolongadas perturbação e os suicidas são vítimas de sensações terríveis.

    O fenômeno da morte somente causa estranheza, a quem da vida apenas lhe conhece a face externa, material e transitória. Considerada esta na sua realidade plena, isto é, a mesma no corpo e fora dele, quando ocorre o episodio da morte, o mesmo deve ser encarado com a naturalidade de que se reveste e atenção que lhe compete, sem qualquer tipo de exagero seja no desespero ou indiferença. Dolorosa e cheia de angustias para uns, a morte não é para outros, senão um sono agradável seguido de um despertar silencioso. O desprendimento é fácil para aquele que previamente se desligou das coisas deste mundo, para aquele que aspira aos bens espirituais.
    É de compreender-se que a alma, encarcerada no corpo, encharca-se das vibrações orgânicas e adapta-se aos condicionamentos próprios da matéria. O desligamento celular não implica em libertação profunda, desde que as impressões mais fortes permaneçam, nos quais o real e o aparente se confundem causando perturbação.

    Despreparado para o processo liberativo, por falta do hábito da reflexão e do desapego à matéria, o espírito permanece no reduto familiar, experimentando lamentável turbação. Reserva tempo mental e emocional ao exame da morte realizando estudo e treinamento para ela.
    O conhecimento do futuro espiritual é de grande importância como preparativo à morte, podendo suavizar nossos últimos momentos e proporcionar-nos fácil desprendimento. I love you


    [i]
    avatar
    Monstrinho

    Mensagens : 145
    Data de inscrição : 22/05/2011

    Re: A HORA FINAL

    Mensagem  Monstrinho em Seg Jul 25, 2011 8:34 pm

    Bom texto, Mulher Celta! Quem é o autor do mesmo? Rolling Eyes

    Obrigado pela sua participação e contribuição!

    Abçs,


      Data/hora atual: Ter Out 17, 2017 3:51 am