Filosofia Oriental e Espiritualismo Prático

Últimos assuntos

Navegação

Parceiros

Fórum grátis

    A Sabedoria da Ausência de Ego

    Compartilhe

    Convidad
    Convidado

    A Sabedoria da Ausência de Ego

    Mensagem  Convidad em Sab Ago 13, 2011 8:49 pm

    No Budismo Tibetano, o Ego é a ausência do conhecimento verdadeiro de quem somos juntamente com o seu resultado: um malfadado apego, mantido não importa a que preço, a uma imagem remendada e improvisada de nós mesmos, um Eu charlatanesco e camaleônico que está sempre mudando para manter viva a ficção de sua existência.

    Em tibetano, o Ego é chamado dak dzin, que quer dizer “agarrado a um Eu” O Ego é assim definido como um movimento incessante de agarrar-se em uma noção ilusória de “eu” e “meu” de si mesmo e do outro e em todos os conceitos, idéias, desejos e atividades que sustentam esta falsa construção. Este agarrar-se é fútil desde o inicio e condenado à frustração uma vez que não tem nenhuma base ou verdade e portanto impossível de se reter e sabendo disto nascem todas as nossas inseguranças e medos.
    No
    Nossa educação contemporânea, assim, doutrina-nos para a glorificação da dúvida, em que para ser vistos como inteligentes precisamos duvidar de tudo, indicar sempre o que é errado e raramente perguntar o que está certo ou é bom, denegrindo todos os valores espirituais e filosofias que recebemos como herança, bem como tudo que é feito com simplicidade, de boa vontade ou com inocência no coração. Nossa sociedade promove a esperteza no lugar da sabedoria, celebrando os aspectos mais superficiais, desarmônicos e menos úteis da nossa inteligência, a sociedade celebra o Ego com suas tristes fantasias sobre o sucesso e o poder e as forças da ganância e da ignorância que estão destruindo o planeta.

    Enquanto não tirarmos a máscara do Ego, ele continuará a nos vendar os olhos. Twisted Evil

    Duas pessoas convivem com você durante sua vida – Uma é o Ego Razz – tagarela, exigente histérico, calculista; a outra é o Ser Espiritual Oculto sunny , cuja voz sábia e serena você raramente ouve e se o fez não a atendeu. Á medida que você ouve mais e mais os ensinamentos, que os contempla e integra em sua vida, essa voz interior, sua sabedoria inata do discernimento, chamada no Budismo de sabedoria discriminativa, é despertada e fortalecida e você começa a distinguir sua orientação das diferentes vozes clamorosas e sedutoras do Ego, a lembrança de sua real natureza começa a retornar para você.

    O caminho para descobrir a liberdade da sabedoria da ausência do ego, segundo os mestres, passa pelos processos de ouvir e escutar, contemplar e refletir e meditar. Ouvir e escutar repetidamente os ensinamentos espirituais de mente aberta, vazia e silenciosa e quanto mais você ouve e escuta mais e mais profundo se torna seu entendimento.

    O aprofundamento da compreensão acontece através da contemplação e reflexão, onde os ensinamentos penetram em nosso fluxo mental e em nossas vidas . Depois de ouvirmos os ensinamentos e refletirmos sobre eles, pomos em ação os insights que adquirimos e os aplicamos diretamente, através do processo da meditação, às necessidades da vida cotidiana.
    É importante lembrar sempre que o princípio da ausência de ego não quer dizer que havia um Ego no começo e os budistas o afugentaram. Ao contrário isto significa que não havia Ego algum desde o começo. Compreender isto é o que se chama “ausência de ego”. I love you

      Data/hora atual: Sex Set 22, 2017 11:42 pm