Filosofia Oriental e Espiritualismo Prático

Últimos assuntos

Navegação

Parceiros

Fórum grátis

    REFLETIR É PRECISO - IMUTABILIDADE - SABEDORIA OU IGNORÂNCIA

    Compartilhe

    Convidad
    Convidado

    REFLETIR É PRECISO - IMUTABILIDADE - SABEDORIA OU IGNORÂNCIA

    Mensagem  Convidad em Qua Set 07, 2011 6:56 pm

    É PRECISO REFLETIR - A IMUTABILIDADE - A SABEDORIA E A IGNORÂNCIA
    Algumas considerações.


    Um amigo afirmava a imutabilidade, justificando-a pelo fato de Deus ser perfeito.


    Cel: respeito sua colocação mas, afinal, sabemos o q é perfeição? Suas leis são imutáveis porq são perfeitas?! O q são leis perfeitas? O q são leis imutáveis? Como podemos afirmar q tudo q acontece no universo é resultante de leis imutáveis? Os q pensam como vc dizem q qdo ocorrem tragédias, colisão de galáxias e seus bilhões de mundos, tudo isso está tb enquadrado na lei perfeita e imutável de Deus! Tudo isso, todas essas classificações são produto do convencionalismo dos homens. Como nos dizem q Deus é perfeito, concordamos q a perfeição engloba também aquilo q, em geral, consideramos imperfeito, certo? Assim, o belo, o bom, o agradável, o benéfico vêm de um Deus perfeito e, embora relutemos, a princípio, acabamos aceitando q o feio, o desagradável, o mau, o maléfico vêm também do Deus perfeito; q tudo isso é resultado da perfeição de Deus. Daí, concluímos q tudo é perfeito, mesmo contrariando concepções nossas anteriores, e afirmamos que tornados, terremotos, erupções vulcânicas, tsunamis destruidores de homens e de tudo q o homem construiu, epidemias, cânceres, demência, tetraplegias, cegueira, a criança entrevada na cama, os hospitais e prisões repletos, a fome e a miséria, o viver sob a ponte ou dos lixões das cidades, as dores torturantes e insuportáves, morais ou físicas, as guerras, os crimes hediondos estão todos dentro da perfeição de Deus. (E digo ao amigo q, se está absolutamente convicto q é assim, está com sua visão muito além das crenças das doutrinas e q, portanto, as doutrinas da Terra não mais têm influência sobre vc! Mas, ao mesmo tempo, pelo q vc coloca, percebe-se q ainda está dependente de doutrinas).

    Cel: eu disse o q disse porq, na minha concepção de q algo é imutável, essa imutabilidade abrange todos os aspectos desse algo, certo? Assim, por esse entendimento, não existe meio termo, a alternativa de ser imutável em alguns aspectos e mutável em outros. Portanto, algo é definitivamente imutável ou definitivamente mutável. Seria como dizer-se “João é meio desonesto”, concorda? E a doutrina não especificou isso q o amigo (da tribo vizinha) especifica: q Deus é imutável qto a certas coisas, e q é mutável qto a certas outras coisas.

    Ao mesmo tempo vc diz q Deus “resolveu” criar, o q significa q antes de tomar essa resolução, não havia criado! Não criara ainda; a partir de certo “tempo” começou a criar! O q há aí? Imutabilidade absoluta ou mutabilidade? Como vimos, algo não pode ser mais ou menos bom, mais ou menos imutável, mais ou menos justo, concorda?

    Afinal, amigo, estas considerações são apenas detalhes não essenciais; o essencial está no conhecimento de como se chegar à verdade q liberta. Sempre coloco considerações semelhantes para q se reflita a respeito, pois há muitas coisas mal explicadas, estranhas, incoerentes e até contraditórias em todas as doutrinas, sem exceção. E, refletindo podemos vir a entender melhor...

    Outra coisa a se refletir: vc lembrou q o universo (ou a criação) foi criado por Deus para O auxiliar no trabalho/obra da evolução dos espíritos, certo? No entanto, afirma-se, também, q os espíritos foram criados por Deus para O auxiliarem no trabalho/obra da criação do universo!... Isto não merece reflexão?


    O amigo escreveu: Certamente que Deus poderia cuidar do universo que criou sozinho, mas já que também fomos criados, Deus aproveita esse universo para nosso ensinamento e evolução...


    Cel: pois esse ponto merece tb reflexão, pois não existe essa possibilidade, pelo menos dentro da visão das doutrinas de um Ser onisciente, de q “já q tb fomos criados, Deus esse universo para nossa evolução”. Afirma-se q a finalidade da criação do universo “é” auxiliar na evolução dos espíritos, e não q, como foi criado o universo, Deus se dessa circunstância (de já ter sido criado o universo) para para a evolução dos espiritos.


    O amigo escreveu: Somos criados simples e ignorantes e por nosso trabalho e esforço temos que aprender a lei de Deus. ... pelos nossos próprios equívocos, aprendemos que tudo aquilo que vai contra o próximo,vai contra a lei de Deus.

    Quanto mais o espírito se torna consciente, mais liberdade ele adquire e mais ele é responsável pelos seus atos. É a partir do momento que ele se torna mais consciente que ele começa a fazer esforços de evolução e aí começa a chamada "desigualdade".


    Cel: meu amigo, vc se esquece de q, “desde o princípio, uns já tomam o caminho do bem absoluto, enqto outros, tb desde o princípio, o do mal absoluto”, e q “nada q procede de Deus pode ser mau injusto ou não-inteligente”. Não vale a pena refletir?


    O amigo escreveu: Como somos espíritos em evolução, vamos contra a lei natural por ignorância.


    Cel: amigo, aqui concordo em gênero, número e grau com vc: vamos contra a lei natural (vc quer dizer Lei de Deus, certo?) “por ignorância”. Mas não só no início, porém sempre; todos os erros praticados em qualquer tempo ou lugar, em qualquer circunstância q seja, são resultantes da ignorância.

    Ou podemos considerar não-ignorante, isto é, podemos considerar sábio aquele q vai contra a Lei de Deus, aquele q não tem controle sobre si mesmo, q pratica crimes etc q, portanto, desconhece ou, mesmo conhecendo, as conseqüências q seus atos errados poderão lhe trazer, assim mesmo os pratica? Esse é sábio ou é ignorante das coisas de Deus? Aquele q, podendo escolher ser feliz, escolhe ser infeliz é, afinal, sábio ou ignorante? E não podemos dizer q “ele é meio-ignorante ainda”, porq meia-ignorância é ignorância e não sabedoria. E, mais uma coisa: se tudo resulta da ignorância, porq se falar de penas e castigos, de locais de expiação, de resgates de erros etc?

    Qto a aceitar estas ou aquelas considerações, suas ou minhas, depende do grau de compreensão de cada um, concorda? Por isso mesmo Jesus disse: “Quem tem olhos de ver, veja! Quem tem ouvidos de ouvir, ouça”, evidentemente significando: “Quem puder compreender, compreenda!”. Fique, portanto totalmente tranqüilo qto a essa questão de opiniões ou considerações.

    Veja tb, q isso q coloco não são minhas opiniões próprias, mas o resultado do testemunho de sábios e mestres, de muitos q eliminaram o ego, e vêm da experiência de milênios, hoje, legitimadas pelo entendimento da ciência moderna.


    Até mais.

      Data/hora atual: Dom Fev 19, 2017 9:17 am